Os acontecimentos narrados na Ilíada cobrem apenas cinqüenta e um dias durante o nono ano do cerco de uma coalizão de cidades gregas ao Reino de Tróia. As  hostilidades haviam começado nove anos antes por causa do rapto por Páris, um dos filhos dos reis de Tróia, Príamo e Hécuba, da bela Helena, mulher de Menelau, rei de Esparta, agora um dos generais comandando as forças gregas.

A coalizão fora montada com os reinos dos outros pretendentes que, obrigados por um pacto, haviam jurado defender o vencedor, se ofendido nos seus direitos. Na verdade, Helena fugiu com Páris. A expressão Ilíada é derivada de Ilion, nome da cidade central do Reino de Tróia, dirigido por Príamo. Na prática, usa-se Ilion ou Tróia indiferentemente. O poema épico, o mais célebre do dito ciclo troiano, teria sido composto por Homero, vate misterioso de que a tradição diz ter sido cego.

 

Texto com o resumo

Parte 1

Parte 2